Mapas e Masmorras para suas aventuras: O covil abandonado

Deixe um comentário

Já tinha algum tempo que eu não trazia um mapa de dungeon pro blog. Este é um mapa muito interessante e promissor, apesar de não ser muito grande. A estrutura estaria encravada na beirada de uma montanha (ou elevação) e é cortada por um rio subterrâneo que termina em uma pequena cachoeira.

Nós podemos dividir a dungeon em três partes – norte, sul e ilha central. A entrada está localizada em uma pequena escadaria ao sudoeste da estrutura, dando acesso à um salão pequeno que dá acesso à um corredor para o norte e outro para leste. Se vocês atentarem bem, há uma espécie de sacada para o sul, ao longo do corredor que pode ser um interessante local para emboscadas contra um grupo descuidado. Toda esta parte sul possui uma série de corredores inferiores e secretos que passam por debaixo da cachoeira uma porta dentro que uma pequena câmara, ao norte. Temos ainda de relevante a ponte que ligaria às partes norte e sul destruída. No norte temos uma porção maior da dungeon com um grande número de câmaras e salas de todos os tamanhos com escadas e mais escadas. Como pode ser notada claramente no desenho da dungeon, ela está com sinais de destruição e abandono

Abra em outra aba para ver com melhor resolução

Na parte central temos uma estátua de alguma divindade com uma sugestiva porta secreta atrás. Além disso, notem que há uma escadaria circular para cima que poderá ser tanto uma outra parte da estrutura ou uma saída para o exterior - use a imaginação.

Este mapa possibilita alguns usos interessantes. Eu não deixaria de fazer uso da cachoeira. Imaginem alguma dificuldade que obrigasse o grupo a se lançar no rio subterrâneo para escapar pela queda da cachoeira? Seria épico! Vocês também podem fazer uso do rio, subindo seu curso mais para o interior da montanha. Quanto à escadaria, ela muito bem poderia estar localizada abaixo de uma vila ou cidade e este poderia ser o covil de uma antiga e esquecida guilda de ladrões ou de um feiticeiro perturbado.

Quanto aos inimigos existentes ali, isso fico ao gosto do freguês, mas eu não me preocuparia tanto com quantidade e mais com dificuldade no que tange à um nível alto e muitas armadilhas.

Desta vez, não vou pôr ganchos de aventuras, pois essa masmorra apesar de muito bem feita, é tão generica que pode ser usada de infinitas formas. Um antigo templo oculto de um deus banido cujos cultistas pretendem reativar? Pode ser. Um quartel general da maior guilda de ladrões da região? Sim, a estatua do deus pode ser justamente do deus dos ladrões (que, muito convenientemente,esconde tem uma porta secreta para fugas!). O laboratório do maior necromante que o reino já teve? Claro!

Enfim, as possibilidades são infinitas. Divirtam-se!