WRP Fest 2015 - O que rolou em Curitiba?

Deixe um comentário





Para quem não ficou sabendo, final de semana passado rolou o World RPG Fest de Curitiba, um encontro de RPGBoardgames Cultura Geek que vem se consolidando nos últimos anos como um importante evento no nosso calendário de jogos.

Infelizmente, eu não pude participar (falta de grana é f*&@), mas procurei um relato confiável de bem descrito de como foi o evento, e acabei encontrando esse do blogueiro responsável pelo Mundo Tentacular. Espero que vocês gostem dele como eu gostei. 

Essa já foi a quarta edição do evento, e a primeira que eu pude participar. E comprovei o que todos vinham falando, de fato, é um evento muito interessante e cheio de atrações para quem gosta do nosso hobby. Isso sem mencionar que Curitiba é uma das cidades mais acolhedoras que tive a oportunidade de conhecer, com um povo extremamente gentil e caloroso. Foi um prazer viajar para lá, encontrar amigos, rever colegas e finalmente conhecer algumas pessoas com quem falava apenas pelo facebook. Uma ótima oportunidade também de participar das palestras, jogar e narar aventuras e estar frente a frente com o pessoal das editoras e o convidado internacional. Esse ano Jonathan Tweet, responsável pelo Livro do Jogador de Dungeons and Dragons 3,0/3,5, do clássico Ars Magica e mais recentemente do bem sucedido 13a Era.

Eu registrei vários momentos do evento, tirei diversas fotos e fiz um apanhado do que fiz e vi no World RPGFest 2015. Se tudo correr bem, ano que vem, estou lá novamente...

Mas se vocês não ficaram convencidos, aqui estão seis motivos para participar do evento: 

6 - Conhecer o que há de novo e clássico em Boardgames:

Foi ótimo encontrar tantos jogos de tabuleiro (Boardgames) no encontro. Realmente é um nicho que está ganhando cada vez mais espaço e força.

Quem disse que Boardgamers e Jogadores de RPG não podem conviver num mesmo ambiente não sabe do que etsá falando.


Jogos clássicos como Puerto RicoPower GridCarcassoneMunchkin dividindo espaço com novidades recém lançadas lá fora. Uma ótima oportunidade de conhecer jogos e ficar sabendo o que há de novo e que será lançado em terras brasileiras.


Aqui está uma das novidades, o Mexica que está desembarcando no Brasil e que tive a chance de dar uma olhada por cima do ombro dos jogadores. Aparência muito bacana e ao que tudo indica bastante divertido.


Eu adoro esses jogos com tabuleiros gigantescos e peças espalhadas em todo canto. Estratégia, sangue frio e sorte nos dados e cartas são essenciais.


Jogos, jogos e mais jogos na Rock Racoon. Preços acessíveis e ótimos descontos.


E o melhor de tudo é apresentar os jogos de tabuleiro a novos jogadores em potencial.

5 - Rever, encontrar, conhecer e fazer amigos

Na minha opinião essa é a razão de ser desses encontros de RPG.


 Encontrar aquele pessoal que você conhece apenas pela tela do monitor, com quem você conversa faz tempo, apesar de nunca ter visto em pessoa e quem você encontrou anos atrás.

E vou te dizer, não tem gente mais bacana do que jogadores de RPG em eventos. Todo mundo muito amistoso, simpático e descontraído.


Olhaí, o pessoal animado na frente do stand da Retropunk. Vários colegas velhos de guerra e conhecidos vindos de todos os cantos do Brasil.


Amigos do Rio de Janeiro (Thiago, Chris e Pedro Borges - autor do Crônicas RPG) que ajudaram a promover uma invasão carioca em terras paranaenses.

Pedro, quero autógrafo no meu Crônicas!


Contrariando os prognósticos menos otimistas, nenhum carioca morreu de frio ou sofreu com congelamento nos dois dias de evento - ao menos, não que eu saiba. O clima ficou na casa dos 14-15 graus. 

Aqui o pessoal do  Velho Crânio RPG : Jonata, Thiago e Gabriel.



Saudações Cães! Belregard RPG marcou presença com seu autor Jefferson Neves.


Meu colega de mesa Elvys Benayon veio de longe para participar do encontro. Bom demais te conhecer!


Um dos responsáveis pela festa, Carlyle Sguassabia (eta negócio difícil de escrever, amigo!)


Fala Henrik, colega do grupo Mundo Tentacular.


Nosso colega Max da Retropunk com sua camisa do Horror on the Orient Express! Agora eu tenho uma também!


Mais membros da horda carioca que invadiu Curitiba, os colegas Eder e Fernando que estavam direto no Stand da Retropunk por conta do lançamento de Accursed, jogo recém financiado no sistema Savage Worlds.


E aquele sujeito misterioso que apontava o dedo e gritava "Olha o cara do Mundo Tentacular".

Eu continuo procurando esse safado que me deve uma grana?

4 - Jogar com ótimos mestres e jogadores

Muitas opções de jogo no sábado, mas eu decidi pelo Yggdrasil da New Order, narrado pelo Fernando Ferreira, mestre mais do que competente que mergulhou o grupo de vikings em uma aventura misturando horror cósmico e sagas nórdicas.


A parada começou a ficar séria, com uma profecia maldita prestes a se cumprir e um grupo de ousados guerreiros se lançando ao mar para procurar uma bruxa capaz de explicar os augúrios.


E é claro, meu guerreiro não chegou ao fim da estória, morrendo de forma feia, rude mesmo...

O que dizer de passar para o Vallhala saltando em um fosso profundo levando um inimigo consigo? Essa noite meu personagem bebeu Hidromel nos salões dos deuses... ou assim espero!

3 - Conhecer novos jogadores e mestrar alguma coisa diferente - esse ano Numenera

Domingo foi dia de mestrar no WRP Fest 2015 e o jogo que escolhi foi Numenera.

A aventura, "Guilty!" (Culpado) foi adaptada do livro Weird Discoveries, com a inclusão de vários detalhes adicionais.

Acho que ficou bem legal, ao menos, deu para se divertir. O grande desafio não foram as criaturas bizarras do Nono Mundo ou os imprevisíveis Cyphers, mas a gritaria das mesas vizinhas. Por alguma razão um tal "Raul" parecia ser muito requisitado por um monte de caras vestidos de preto (!!!).

Polêmicas à parte, para os próximos encontros eles já disseram que vão maneirar na empolgação. Então, tá beleza...


Os membros da minha mesa no final da sessão.


E a mesa durante a aventura. Na estória, um grupo de heróicos aventureiros é contratado para descobrir a identidade e capturar um "serial killer" que está matando membros de uma raça não-humana.


O grupo discute o rumo de suas investigações: como pegar o assassino antes que ele faça a próxima vítima.


Explorando o Nono Mundo em boa companhia. Valeu pessoal pelo ótimo jogo!

2 - Visitar as Editoras e Comprar algumas coisas bem interessantes:

Outra coisa muito legal nesses eventos de RPG é ter o contato com as Editoras.

Estamos vivendo tempos interessantes no qual a proximidade e transparência na relação entre editora e público precisa ser elogiada. Os membros das editoras são extremamente acessíveis e estão interessados em ouvir as propostas e sugestões de seu público alvo. Isso permite uma sadia troca de ideias e o fortalecimento de nosso hobby. 

É muito bom ver isso acontecendo! 


O concorrido stand da New Order - responsável pelos Financiamentos Coletivos bem sucedidos de Numenera, 13a Era, Yggdrasil Crônicas RPG. Além de Legends of Five Rings, alguns dos livros mais bonitos publicados no Brasil.


Galera sempre simpática da New Order, Alexandre Manjuba.


O stand da Manticore, com o melhor dos Jogos de Tabuleiro.


E nossos colegas da Retropunk, sediados em Curitiba, é claro, não poderiam faltar!

1 - Ter a chance de conhecer lendas do RPG:

Encontros de RPG tem que contar com a presença de nomes consagrados do RPG e é uma tradição do WRP Fest trazer um convidado internacional para suas edições.

Nessa, tivemos a sorte de conhecer Jonathan Tweet, autor de uma penca de jogos lendários e figura mais do que acessível que perambulou pelas mesas de jogo autografando livros e distribuindo simpatia. 


Mr. Tweet durante sua concorrida palestra falando sobre suas inspirações, seus jogos favoritos e seus planos no cenário do RPG.


E uma daquelas fotos tipo papagaio de pirata que a gente olha e pensa: "putz, que cara de maluco que eu fiquei".

História interna: Pedi ao Sr. Tweed ("Please, call me Jonathan") que autografasse uma edição da Aventura "Festival of the Damned" de Ars Magica (Se fala, Ars Maguika, nem imaginava isso...) e ele abriu um olhão em cima do livro:

- "Wow, that´s an old one", ele disse admirado em ver um livro seu editado em 1989.

- "This scenario is one of my favorites... very good adventure! My favorite of Ars Magica". Comentei, e de fato é uma aventura muito boa!

- "I'm looking for a edition of this book, since I lost mine..." ele começou a dizer folheando o livro.

- "Well for a US $100 bucks you may have it"! eu brinquei com ele.

- "Oh, sorry I leave my wallet in the hotel room" ele devolveu brincalhão.

E escreveu na parte de dentro do livro: "An old time favourite. Keep this book with you".

- "Now it's US $200 bucks... it's signed by the author!" ele disse antes de se despedir gargalhando.

O cara é super gente boa...


Olha ele aí distribuindo autógrafos e simpatia...


E alguns tiveram a sorte de jogar na mesa dele de 13a Era.

Então, foi isso aí... grande evento de RPG.

Ah sim, mais duas coisas que precisam ser comentadas:

6 +1 - Encontrar cara a cara Velhos e Antigos amigos (entenderam, Great Old Ones, hein? Hein? Boa essa né?)


Que estátua maneira do Grande Sr. C.



6 + 2 - E comer algo assim:

Curitiba é um festival de restaurantes maravilhosos! Cara, essa Bratwurst quase pede por rolamento de sanidade...