Seguidores

Vin Diesel e a influência do D&D em seu filme "The Last Witch Hunter"

Deixe um comentário
20150430-47117mfuye8g_full


Talvez você não saiba (o que acho pouco provável), mas pro caso de você realmente não saber, Vin Diesel é um P*** de um nerd que ama RPG, especificamente D&D. Sim, isso também me surpreendeu pra caramba quando eu soube, e nem cheguei a creditar até descobrir em outras entrevistas que sim, isso é verdade. Fala sério, você já imaginou jogar D&D do lado daquele brutamontes? Seria muito legal ter ele do lado pra toda vez que alguém viesse te encher o saco sobre RPG.  Não precisava bater em ninguém, era só pra mostra-lo quando alguém dissesse alguma coisa como: "RPG é coisa de gordo, nerd, virgem etc..."

Sério que você iria dizer essas coisas na lata desse cara? NUNCA!

Mas enfim, o astro de Velozes e Furiosos e Guardiões da Galáxia, deu uma entrevista para o site Collider para falar de seu novo filme The Last Witch Hunter onde ele irá interpretar Kaulder, um homem que um dia fez parte de um exército de caçadores de bruxas, e conseguiu derrotar a rainha das bruxas, mas antes dela ir pro "saco preto", Kaulder foi amaldiçoado com a imortalidade da própria. Agora nos tempos atuais, ele é o ultimo dos caçadores de bruxas, e quando ela está para voltar, adivinhem só quem vai ter que resolver o problema?
Na entrevista, Vin Diesel contou como todo o filme gira em torno de sua experiência com D&D, sim, The Last Witch Hunter aconteceu por conta de um personagem de Dungeons e Dragons de Vin Diesel. 

Veja o que o ator disse na entrevista:

Até agora podemos ter certeza de dizer que você tem um olho para escolher personagens de grandes franquias. Você pode nos dizer o que te chamou a atenção nesse em específico?

VIN DIESEL: Claro, seria meu prazer. Eu vou voltar um pouco no tempo. Para o 30º aniversário de um jogo chamado Dungeons and Dragons,  a empresa na época me pediu pra escrever algumas palavras para a contra capa do livro e eu falei sobre minha experiência de crescer jogando D&D religiosamente, e eu até falei de um personagem que eu criei chamado Melkor, um nome que eu obviamente roubei de Silmarillion, e aquele personagem era um caçador de bruxas. À cerca de 4 anos atrás, eu conheci esse escritor chamado Cory Goodman e eu acho que ele escreveu Padre,  ele escreveu um monte de coisas legais. Nós começamos a conversar e alguém nos colocou juntos porque ele era um jogador de D&D também e acharam que poderia ser interessante, e eu acho que ele foi pra casa pra escrever um filme inteiro sobre o meu personagem Melkor, que era um caçador de bruxas.
E só o fato de que eu jogava de Caçador de Bruxas mostra o quanto eu era um nerd sobre o jogo, quão comprometido eu era com Dungeons e Dragons, porque as pessoas podem não saber é que o Caçador de Bruxas não era disponível no livro principal na época. Era um personagem que você só poderia encontrar num livro complementar chamado The Arcanum, assim sendo, se você jogasse Dungeons and Dragons você não poderia jogar de Caçador de Bruxas, porque a classe não existia […] E eu joguei de Caçador de Bruxas porque eu gostava do Ranger, e essa era uma classe que lembrava muito o Ranger só que com algumas magias chamados misticismos.
wqdqw4d8dq4dqw

Qual edição você estava jogando?

VIN DIESEL: Eu estava jogando a segunda edição. Quando eu comecei a jogar D&D, eu acho que talvez mil pessoas sabiam o que significava a palavra internet. (Risadas) Eu ouvi um fato que no fim da década de 70, apenas mil pessoas já haviam ouvido a palavra internet. E eu digo isso meio que pra contextualizar quanto tempo faz essa experiência pra mim […]
[…] Bem não há treinamento que você possa imaginar que te prepara tanto do que criar esses mundos de fantasia somente com papel, e então a gente pegava essas telas velhas e dávamos o devido tratamento para que elas parecessem envelhecidas e aí nós tínhamos esses mapas enormes e a gente podia investigar sobre ele. Eu sei, é muita coisa.
Ok, então, Cory Goodman saiu pra escrever esse filme e teve a intenção de falar com o personagem de D&D mas também tentando colocá-lo num tempo moderno, o que é uma coisa divertida porque a gente não costuma pensar que isso seja possível, sério. Como poderia um gênero influenciado por D&D viver num mundo cinematográfico meio James Bond? E isso foi o que ele fez.

Comentários acerca da noticia: Cara&¨@, o cara teve todo um filme baseado em um personagem épico que ele teve por causa de um outro viciado em RPG, que é roteirista. Quem dera se todo memorável personagem de RPG pudesse ser materializado em filme. Acho que minha carteira ficaria lisa todo mês!

Tou torcendo muito pra que esse filme dê certo. Não digo isso pra que Hollywood crie mais uma franquia pra arrancar dinheiro da gente enquanto enriquece Vin Diesel e seus parceiros, mas sim para que mais projetos de cunho rpgisticos possam surgir no cinema. É muito mais fácil atrair alguém pra jogar RPG quando você diz: "Ei você gostou de O Senhor dos Anéis,o Hobbit, e afins? Então, você vai gostar de jogar D&D, por que você pode jogar em um mundo parecido com o deles!". E aí essa pessoa pode dar uma chance e ao menos tentar jogar esse treco de dados, papel e lápis.

Ou no pior dos casos, pelo menos você pode ter mais fontes de inspiração pro cenário que você deseja.  

Aliás, eu não sei se vocês perceberam também ou se é "viagem" minha, mas notaram que há um súbito aumento em filmes de fantasia com jeitão de D&D e similares nos últimos anos?     

Acho que isso rende até uma matéria especial. Vou desenvolver melhor a minha teoria e depois posto aqui.
Aguardem!