Seguidores

Como organizar sua mesa "One-Shot"

Deixe um comentário
Faz alguns anos que mudei minha postura com relação a uma porrada de coisas. Uma delas, sobre como me portar em relação aos meus Hobbies (RPG, Boardgames e jogos de carta). Antes eu evitava falar a respeito, principalmente ao povo não ligado a cultura geek/pop, mas agora que cada vez o povo se mostra mais receptivo para isso, e também porque deixei de me incomodar em explicar tudo, mesmo com a "zoeira" da parte dos outro.

Hoje, ensino aos outros, e já sei de duas pessoas que começaram a narrar, sendo uma delas, meu primo menor (14 anos).Semana passada, ele disse que queria começar a jogar com uns amigos, mas não tinha ideia para uma campanha. Recomendei a ele que começasse primeiro com "one-shots" para ver como os amigos dele reagiriam e se eles gostassem aí ele partiria para algo mais "sério".

*É isso aí Henrique, esse artigo é para você. Leia, sua miséria pequena!

Para quem não conhece, o termo one-shot é usado para designar aventuras que duram uma única sessão de jogo. É só juntar as pessoas e jogar. São ideais para mestrar em eventos, grupos que não conseguem se reunir com regularidade e para quem é novato no jogo.

Resultado de imagem para mesa de rpg
Série boa da porra e cheia de referencias ao D&D! 

A primeira coisa é definir o local e o horário da sessão. Não se preocupe em arrumar uma agenda que enquadre todos os membros do seu grupo. Adeque melhor à maioria deles e, principalmente, a você. Senão, poderá levar uma eternidade para realizar seu jogo (isso, se você conseguir). Aqueles que não vieram vão saber pelo meio dos outros, e ao notar que perdeu horas de "resenha" e jogo vai estimular eles a não faltarem a próxima.

A Segunda é confirmar e reconfirmar quem vai poder ir, para já saber quantas fichas vai imprimir/fazer antes, e quanto vai ter que aumentar ou diminuir a dificuldade da partida. Isso se você também não ficar responsável pelos comes e bebes.

Como já foi dito antes, é bom apresentar uma sinopse do jogo aos Jogadores. Também é bom relembrar a importância do Mestre deixar tudo organizado antes da sessão de jogo.

Outro ponto importante é a questão dos personagens. Muitos Jogadores insistem em fazer seus próprios PCs, mas para um one-shot isso tomaria um tempo precioso. O ideal é o mestre fornecer os personagens prontos aos Jogadores, por mais que eles esperneiem. Portanto, mantenha uma gama variada de fichas, de tantos conceitos quanto forem possíveis, com habilidades que farão diferença durante a aventura. Garanta também que o prelúdio dos personagens estejam interligados com o resto do grupo e com a história. Tenha em média umas duas fichas por jogador, para lhes dar escolha.

O Mestre, caso queira, pode abrir uma exceção aos Jogadores que "querem porque querem" criar seus PCs. Desde que estes atendam a todas as condições abaixo.

1º- O Jogador deve estar familiarizado com o cenário e as regras do RPG que você pretende mestrar. Poucas coisas comem mais tempo e irritam o grupo do que alguém que fica perguntando o tempo todo sobre tudo.
2º- Ele deve apresentar com antecedência um personagem totalmente pronto do mesmo nível ou pontos da sua aventura. Aventura de 1º nivel e o cara quer vir de level 10? Sem chance!
3º- O conceito e a história dele devem se encaixar na sua aventura. Afinal, um viking em uma partida de A Lenda dos 5 Anéis (RPG e TCG baseado na cultura Japonesa/Chinesa), não faz sentido nenhum então, pegue o Ragnar Lothbrock dele e soque no rabo do infeliz. Com polidez, é claro!
Por último, esse personagem não deve desequilibrar a aventura, seja neutralizando totalmente o desafio ou sendo um peso morto para o grupo.

Lembre-os também que a aprovação final é sempre sua, o Mestre. O melhor é que você supervisione ou faça alterações pontuais na ficha, pois apesar de chato, a possibilidade de verem seus personagens sendo vetados, depois de todo trabalho que tiveram ao fazê-los, é MUITO PIOR!

Findo isso, recomendei para ele pegar ou o Old Dragon, usando a série de aventuras conhecida como que As Aventuras Comecem (que é de Tagmar, mas foi adaptada pro sistema), pois elas apresentam os três aspectos do jogo de uma maneira bem simples e didática. A outra opção é D&D 5ª ED, e pegar a aventura Um Casamento Indigesto, do conterrâneo "Erivas" Fernandes. É engraçadinha e não dá nenhum TPK (a menos que os moleques seja muito azarados, burros ou ambos!). Agora o negocio é com ele, e espero que dê tudo certo e um novo grupo de jogadores regulares se forme. 

Resultado de imagem para mesa de rpg
Outro seriado massa (até a terceira temporada, pelo menos)e com esse incrível episódio! 

Então, meu povo, vou ficando por aqui. Espero que tenham gostado das dicas? Dúvidas, sugestões? Comentem aqui em baixo.   


E lembrem-se da regra º 1: Tentem não morrer!